quinta-feira, 23 de março de 2017

Reduza seu custo na gestão do seu resíduo



Olá amigo do Desenvolvimento Sustentável, obrigado pela oportunidade para falarmos de tecnologias como big data, monitoramento por satélite, sensores e software aplicado na Gestão Integrada de Resíduos Sólidos.

Aqui segue o link do artigo de um dos nossos clientes que adotou a ferramenta e metodologia MSR - MANEJO SUSTENTÁVEL DE RESÍDUOS - da BIOTERA. Ele deixa claro a redução de custos e o reposicionamento socioambiental da empresa.

Veja o que lhe entregamos ao implementar o MSR:
  • O MSR implanta e gerencia o PGRS – Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos – como exigência da Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei n°12.305/2010) e outras;
  • O MSR permite o cumprimento da Logística Reversa e do conhecimento da Análise de Ciclo de Vida do Produto e também o inovado conhecimento na Análise de Ciclo de Vida do Resíduo;
  • O MSR  rastreia o resíduo, no pré e pós-consumo;
  • No MSR apresenta oportunidades de otimização na sua cadeia de resíduos, inclusive com novas tecnologias em todo o processo;
  • O MSR integra a Teia(*), possibilitando a criação de novos mercados de gestão do resíduo padronizado em todo o mundo, implantado através de franquias; 
    (*) Teia é o ecossistema, o conjunto formado por todas as comunidades que vivem e interagem em determinada região que atuam na gestão de resíduos. Formadas por cooperativas, institutos, ONGs, empresas, MEI´s . É o início da criação da Economia Circular.
  • O MSR permite que os membros da Teia tenha seu papel definido, o que fazer e quando fazer;
  • O MSR elimina o subtrabalho, os atravessadores do mercado, transformando o resíduo na matéria prima do século XXI;
  • O MSR fornece a matéria prima para todas organizações aptas a trabalhar com resíduo;
Aguardamos seu contato
55 (11) 4451-6465
OBS: Não deixe de ver as apresentação nos links acima.



quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Logística Reversa? Só com tecnologia. A solução pra sua embalagem.


Olá amigo do desenvolvimento sustentável. Tudo que consumimos esta em uma embalagem. No mercado (super, hiper, mega, mini), loja de conveniência, pet shop, farmácias e drogarias, as padarias e, além disto, existe as marcas próprias. Atacado e varejo. No mais remoto ponto de venda que você imaginar em qualquer lugar do mundo.

E como recolher essa embalagem no varejo? A Lei 12.305 pede que isso seja feito. Através de ações, procedimentos e meios definidos, sistematizado, padronizado, inteligente, replicável há como fazer isso. E apresento aqui para você. 
Só essa tecnologia é capaz de atender o  "Conjunto de atribuições individualizadas e encadeadas".

Mas antes, vale lembrar, que até o momento: 
  • Os resíduos são cada vez mais novos e em maior volume, até mesmo em super escala;
  • Somente tecnologia/engenharia no final do tubo não resolve o problema;
  • A logística, como é feito, não funciona;
  • Incentivo no destino final não aumenta o volume de resíduo entregue;
  • PEV´s e outros meios de entrega voluntária não atende a demanda e depende de logística;
  • Coleta seletiva, de porta em porta, não funciona. Baixa adesão, pouco alcance e, pior, a perda da qualidade do resíduo;
  • O resíduo é um problema universal; 
Veja o vídeo abaixo e o que propomos para você. A única solução que integra a cadeia de resíduos sólidos, onde todos são incentivados a participar e a cuidar do sistema. Espero seu contato para desenvolvermos em parceria. 

BIOTERA. 





Abaixo os itens da Lei e do Decreto:


Lei PNRS: 12.305/2010 e Decreto 7.404/2010



Decreto 7.404/2010: 
Art. 7o  O Poder Público, o setor empresarial e a coletividade são responsáveis pela efetividade das ações voltadas para assegurar a observância da Política Nacional de Resíduos Sólidos e das diretrizes e determinações estabelecidas na Lei nº 12.305, de 2010, e neste Decreto.
Art. 13.  A logística reversa é o instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado pelo conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada.
Art. 17.  Os sistemas de logística reversa serão estendidos, por meio da utilização dos instrumentos previstos no art. 15, a produtos comercializados em embalagens plásticas, metálicas ou de vidro, e aos demais produtos e embalagens, considerando prioritariamente o grau e a extensão do impacto à saúde pública e ao meio ambiente dos resíduos gerados.
Art. 18§ 1o  Na implementação e operacionalização do sistema de logística reversa poderão ser adotados procedimentos de compra de produtos ou embalagens usadas e instituídos postos de entrega de resíduos reutilizáveis e recicláveis, devendo ser priorizada, especialmente no caso de embalagens pós-consumo, a participação de cooperativas ou outras formas de associações de catadores de materiais recicláveis ou reutilizáveis. 
Lei PNRS: 12.305/2010:


Artigo 3
XII - logística reversa: instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado por um conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada; 
XVII - responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos: conjunto de atribuições individualizadas e encadeadas dos fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes, dos consumidores e dos titulares dos serviços públicos de limpeza urbana e de manejo dos resíduos sólidos, para minimizar o volume de resíduos sólidos e rejeitos gerados, bem como para reduzir os impactos causados à saúde humana e à qualidade ambiental decorrentes do ciclo de vida dos produtos, nos termos desta Lei;
Artigo 19


IV - identificação dos resíduos sólidos e dos geradores sujeitos a plano de gerenciamento específico nos termos do art. 20 ou a sistema de logística reversa na forma do art. 33, observadas as disposições desta Lei e de seu regulamento, bem como as normas
Artigo 31
III - identificação dos resíduos sólidos e dos geradores sujeitos, assim como sua subsequente destinação final ambientalmente adequada, no caso de produtos objeto de sistema de logística reversa na forma do art. 33
Art. 33.  São obrigados a estruturar e implementar sistemas de logística reversa, mediante retorno dos produtos após o uso pelo consumidor, de forma independente do serviço público de limpeza urbana e de manejo dos resíduos sólidos, os fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes de: ...
§ 2o  A definição dos produtos e embalagens a que se refere o § 1o considerará a viabilidade técnica e econômica da logística reversa, bem como o grau e a extensão do impacto à saúde pública e ao meio ambiente dos resíduos gerados.
§ 4o  Os consumidores deverão efetuar a devolução após o uso, aos comerciantes ou distribuidores, dos produtos e das embalagens a que se referem os incisos I a VI do caput, e de outros produtos ou embalagens objeto de logística reversa, na forma do § 1o.
§ 8o  Com exceção dos consumidores, todos os participantes dos sistemas de logística reversa manterão atualizadas e disponíveis ao órgão municipal competente e a outras autoridades informações completas sobre a realização das ações sob sua responsabilidade. 






sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Resoluções ambientais que impactam todos os negócios




Olá amigo do Desenvolvimento Sustentável, segue abaixo duas resoluções ambientais do Estado de São Paulo que impactam seu negócio. Certamente serão implementada por todo o Brasil num curto espaço de tempo.

Antes de falarmos nas mesmas, informo a você que já estão na nossa ferramenta GLAS, devidamente comentada e orientada para os cumprimentos pela sua operação.

O MSR, ferramenta de gestão e rastreabilidade de resíduo, garante o comprimento da SMA 15.

Venha conosco e faremos as ações socioambientais parte do seu negócio.

RESOLUÇÃO SMA Nº 10, DE 08 DE FEVEREIRO DE 2017:  Atividades Potencialmente Geradoras de Áreas Contaminadas. Importante para fins de análise de crédito, project finance, equity, aquisições, parcerias e sua operação.

RESOLUÇÃO SMA Nº 15, DE 14 DE FEVEREIRO DE 2017:   Dispõe sobre o licenciamento ambiental de empreendimento ou atividades relativas aos resíduos sólidos. Todo fornecedor da cadeia de resíduos sólidos precisará de prévia autorização da CETESB, seja a mesma uma área de transbordo, o destino final com aterros, processamento e outros.

Estamos a disposição

BIOTERA, trabalhando com você.